Entrar

Faça por prazer!

Bom dia queridos leitores, vivemos uma época de grandes incertezas, onde tudo se divide em certo ou errado, porém, o certo para alguns é o errado para outros, isto esta criando um muro divisor da população, o que acaba por piorar ainda mais o cenário brasileiro.

O assunto que desejo abordar hoje são as situações, as pessoas, ou as coisas que fazemos por prazer, circunstâncias diferenciadas (ao menos para nós) que nos trazem a felicidade e a fortuna, e o quanto elas são fundamentais para o futuro das nossas empresas.

“É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada.” (Willian Shakespeare)

Seja sincero, qual o método que você utiliza quando está muito pressionado ou necessitando decidir algum rumo importante na carreira, na vida pessoal ou na vida financeira, a quem ou aonde busca o porto seguro?

Rotineiramente vejo pessoas falando que o tempo é escasso, que não conseguem mais fazer o que gostam e todo seu dia é dedicado único e exclusivamente para o trabalho. Sempre questiono até que ponto isto é realmente vantajoso, e a resposta é que não tem tempo para os prazeres da vida, que tudo obrigatoriamente deve ser trabalho.
Nesse ponto reside à questão, será que este profissional rende melhor trabalhando o dia (e noite) toda, ou ele funcionaria muito mais se tivesse um momento de prazer, um momento para recarregar as baterias.

Tenho certeza que se ele estiver feliz renderá mais! Se trabalhar cinco horas motivado, estas serão mais proveitosas (para a empresa) do que se ele ficar dez horas sentado forçando o trabalho.

Tenha um momento para você! Pode ser uma peça de teatro, um jantar, um belo vinho, uma brincadeira com os seus filhos, uma noite especial com a pessoa amada... talvez uma pescaria, jogar um futebolzinho com amigos, mesmo uma hora de silêncio ou de preguiça, não importa o que, mas faça algo que lhe deixe melhor, que lhe traga deleite, garanto que o resultado será positivo.

Cafezinho para refletir:
“Um asno certa vez perdeu o rabo num acidente e, muito aflito com isso, procurava-o por toda a parte achando que poderia colocá-lo novamente no lugar. Ele atravessou um campo e entrou num jardim. O jardineiro, ao vê-lo, irritado com o estrago que ele fazia pisando as suas plantas, correu até o asno e sem mais cerimônias cortou-lhe as duas orelhas e o encheu de pancadas. Assim, o asno, que lamentava a perda do rabo, ficou ainda mais aflito quando se viu sem as orelhas.” (Fábulas. PILPAY, India, Século IV).

O tempo é curto, o cobertor é curto... mas não deixe que a vida seja curta, ela pode e deve ser divertida. Os empresários e as empresas precisam aprender isto!

Mais nesta categoria: « Liderança Você decide! »
Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.