Entrar

Centro de Recuperação e Bem-Estar Animal deve começar a atender em março

Destaque Levantamento do município apontou 1,5 mil animais abandonados Angelica Spengler Fotografias Levantamento do município apontou 1,5 mil animais abandonados

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMA) de Campo Bom está construindo um espaço que servirá para cuidados de saúde de cães e gatos. No mês de abril a Prefeitura recebeu um contêiner de 12m x 2,60m que vai funcionar como um centro de bem-estar animal, adaptado segundo as normativas do Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS. O container foi instalado junto ao prédio de 5m x 20m que está sendo edificado no bairro Quatro Colônias.
O local deve abrigar salas cirúrgicas para procedimentos mais complexos, atendimentos médicos e castração, com capacidade para até 20 animais, e a previsão do início dos atendimentos é março de 2019.

“Contaremos também com um veículo adaptado para fazer pequenos atendimentos emergenciais, resgates, além de contribuir com a conscientização. Já foram construídos centros para o pós-operatório dos animais, onde ficarão até sua completa recuperação. Após os animais serão devolvidos ao local de origem”, revelou João Flávio da Rosa, titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

A prioridade de atendimentos, em um primeiro momento, será para cães e gatos em situação de abandono. Posteriormente serão estendidos os atendimentos para animais pertencentes a população de baixa renda. A ação está sendo realizada pelo SEMA que, após ter feito um levantamento através do Censo Animal no ano passado, constatou que o município possui mais 1,5 mil animais abandonados.

Como funcionará o Centro de Bem-Estar

Inicialmente somente animais de rua irão receber atendimento, sempre através de protocolo realizado na Prefeitura ou com pedido da Secretaria Municipal de Assistência Social, atestando ser de baixa renda. A data para início da realização dos protocolos será divulgada em breve, e a partir deste cadastro será feita uma lista de animais para esterilização. A iniciativa prevê palestras em escolas com temas relacionados a posse responsável de pequenos animais.

Aumenta o número de ONGs e projetos

O aumento significativo do número de ONGs e projetos voltados para a defesa animal e sua constante atuação junto à comunidade têm colaborado para a diminuição no número de abandonos.
Fundado em 2014 por um grupo de amigas, com o intuito de resgatar, encaminhar para atendimento veterinário e, após a adoção, a ONG Campo Bom pra Cachorro conta hoje com 15 voluntários.

“Realizamos também vaquinhas onlines para pagar tratamentos, medicação e internação dos animais. Temos um brechó que abre de segunda a sábado, para arrecadar verba para os animais. A quantia que arrecadamos no brechó arca com 1/3 das dívidas da CBC.A segunda parte é com doações, cofrinhos solidários espalhados pelos comércios da cidade, com eventos como o hot dog do bem, e pedágios solidários”, comentou Kayanne Braga, presidente da Associação CBC.

Outro projeto audacioso e nobre, também nasceu em 2014 na cidade. Denominado Cão Sem Lar, um grupo de 12 voluntárias apaixonadas por cães e gatos, pegaram para si a missão de cuidar de cães e cadelas abandonados na cidade.
Para conseguir manter este sonho de pé, as voluntárias realizam mensalmente feiras de adoções na cidade.

“Junto a feira realizamos um brechó de roupas usadas para arrecadar fundos para o projeto. Também vendemos camisetas do projeto, e vários produtos que ganhamos através de doações. Uma vez a cada dois meses, fizemos “ação entre amigos” com rifas de produtos que também recebemos através de doações”, destacou a presidenta da Driele Severo.

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.