Entrar

Obras de tratamento de esgoto sem previsão para começar

AG divulgou o anúncio do início das obras feito pela prefeitura e Corsan, porém obra segue sem data para começar Reprodução AG divulgou o anúncio do início das obras feito pela prefeitura e Corsan, porém obra segue sem data para começar

No dia 16 de fevereiro deste ano a prefeitura de Campo Bom, juntamente com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) convocou uma coletiva para fazer um grande anúncio à comunidade campo-bonense: o início das obras de implantação da rede coletora de esgotamento sanitário finalmente sairia do papel.

 Na ocasião, o diretor de expansão da companhia, Marcus Vinicius Caberlon se encarregou de dar a notícia. “O processo de licitação já está adiantado e pretendemos iniciar as obras no início de abril”, anunciou. Porém, passada a primeira quinzena do mês, nenhuma máquina ou operário deu início à obra. E o pior: o processo licitatório sequer saiu e as obras não tem mais data certa para começar.


Obra com previsão para 25 anos
Inicialmente a obra teria um investimento total de R$ 10.599.620,00, valor este dividido entre o município e a Corsan. Segundo o projeto, se não houver atrasos no cronograma da obra, até 2019 Campo Bom deverá contar com 25% do esgoto tratado. Inicialmente, 13.255 moradores dos bairros 25 de Julho, Cohab Leste, Santa Lúcia e Jardim do Sol serão contemplados. Se os prazos forem cumpridos, até a conclusão total da obra, 19 mil campo-bonenses serão beneficiados, o que representaria 32% da população.

Mesmo não tendo iniciada no prazo anunciado, a obra tem previsão para atingir 100% de esgoto tratado em 25 anos, portanto, até 2041.


Após dois meses, custos aumentaram e máquinas não foram ligadas
A reportagem do AG entrou em contato com a assessoria de imprensa da Corsan para buscar explicações para o atraso do início da obra. Se em fevereiro, na ocasião do anúncio do início da obra o valor era de aproximadamente 10,6 milhões, hoje, dois meses depois, a companhia já fala em R$ 12 milhões. “A Corsan está revendo o orçamento da obra de implantação de redes coletoras de esgoto no município de Campo Bom, devido à inflação registrada nos últimos meses e como forma de atualizar os valores. A obra será realizada com recursos próprios da Companhia e seu valor deve ser de aproximadamente R$ 12 milhões”, justificou a Corsan.

Segundo a companhia, o lançamento da licitação, que estava previsto inicialmente para o mês de março, agora está previsto para este primeiro semestre de 2016. Tão logo o processo seja finalizado, a obra deverá ter início.


Cidade perde recursos
O início das obras de tratamento de esgoto doméstico estava previsto para 2014, porém, um entrave entre município, Corsan e a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) acabou atrasando o processo. Na época, Campo Bom tinha à disposição um recurso em financiamento de R$ 78 milhões, o que permitiria a conclusão integral de toda a rede. O motivo alegado pela Fepam foi que a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) na área projetada por Campo Bom, localizada no bairro Mônaco, se tratava de uma Área de Preservação Ambiental (APP), o que inviabilizou o projeto. “Infelizmente acabamos perdendo esse recurso que serviria para concluirmos toda a rede de esgoto da cidade”, lamentou o prefeito Faisal Karam.

Prefeitura não se manifesta
Procurada pela reportagem, a Coordenadoria de Imprensa da prefeitura de Campo Bom não comentou o assunto.

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.