Entrar

Alunos chegam ao 9º ano sem saber ler nem escrever

Dados foram identificados através de quadros de avaliação individual de cada aluno Divulgação Dados foram identificados através de quadros de avaliação individual de cada aluno

A educação campo-bonense, reconhecida nos últimos anos pelas numerosas conquistas recebidas, constatou, neste ano, através de inúmeras avaliações com os alunos da rede municipal de ensino, que a realidade parece não ser tão boa assim. Pelo menos 195 alunos, do 1º ao 9º ano não estão alfabetizados, ou seja, não sabem ler nem escrever. Mesmo assim, a cidade registrou, somente em 2016, 99,63% de aprovação dos alunos.

Conforme a secretária municipal de educação, Simone Schneider, é exatamente essa alta aprovação que levou o município a colocações destacadas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). “Precisamos nos preocupar mais com a qualidade do ensino e não somente a prêmios”, destaca.

PROJETO DESPERTAR BUSCA MUDAR ESTATÍSTICAS

O retorno do recesso escolar marcou também o início o Projeto Despertar, criado para alfabetizar os alunos que apresentam atraso na aprendizagem. “Vamos percorrer os níveis de alfabetização, com estímulos, interação, atividades didáticas adequadas e intervenção constante. Assim os alunos poderão se apropriar de funções sociais de escrita, alcançando um nível desejado de alfabetização e letramento”, explica Simone.

O projeto contará com quatro professoras e terão seis turmas em quatro núcleo, três vezes por semana. Os polos serão: EMEF Marques do Herval, EMEF Dom Pedro II, EMEF 25 de Julho e EMEF Esperança. A prefeitura oferecerá transportes aos alunos.

Já para os alunos dos 3º anos será traçada ações específicas nas escolas, em turno oposto, com estratégias de aprendizagem diferenciadas.

NÚMEROS DA EDUCAÇÃO

>> 195 alunos não alfabetizados
>> Destes, 52 são do 3º ano
>> 143* são do 4º ao 9º anos
* 81 são de Necessidades Educativas Especiais

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.