Entrar

Escolas de turno integral e de educação integral oferecem diferentes propostas de ensino

Destaque Escolas de turno integral e de educação integral oferecem diferentes propostas de ensino Joceline Silveira/AG

Muito se fala em qualidade na educação, na capacitação dos professores e de melhorar e aprimorar o aprendizado. Investimentos em materiais pedagógicos, na infraestrutura das escolas e na valorização dos professores integram a lista, e com as novas tendências, os gestores de instituições de ensino passam a conviver com maiores desafios. Como não há uma receita pronta de como fazer educação, demandas de novos projetos pedagógicos estão surgindo ao longo dos anos. Entre os avanços na área estão duas iniciativas: a do turno integral e a da educação integral. As propostas ganham cada vez mais espaço em Campo Bom, onde as duas metodologias de ensino estão sendo aplicadas na rede pública.
Hoje o município conta com 23 escolas municipais de educação infantil (EMEIS) e quatro de ensino fundamental (EMEFS) que possuem turno integral. E outras três instituições onde a metodologia abordada é da educação integral. São beneficiadas 2821 crianças nas Emeis e 1.053 nas Emefs.

TURNO INTEGRAL

A escola de turno integral disponibiliza no contraturno escolar atividades diversas, oferecendo acolhimento e possibilidade de crescimento e desenvolvimento em ambiente seguro. O aluno pode participar de oficinas como dança gaúcha, projetos esportivos, culturais, sobre o meio ambiente, de culinária, onde são oportunizados diferentes momentos de aprendizagem. Neste tipo de escola, o aluno não fica para o almoço, mas retorna para as atividades de sua escolha. “Como é de livre escolha, o estudante/ a família que decide quais atividades irá frequentar e quando irá frequentar”, explica a Secretária de Educação, Simone Schneider.
Atualmente Campo Bom conta com quatro escolas de turno integral as EMEFs Edmundo Strassburger, Marcos Silvano, Princesa Isabel e Octacílio Fauth.
Educação de turno integral não significa simplesmente que o aluno passa mais tempo na escola. É muito mais do que isso. Nessa modalidade, ele convive com múltiplas oportunidades de aprendizagem, seguindo um programa político-pedagógico. Ou seja, ele estará em contato com atividades culturais, de arte, esporte, ciência e tecnologia, tanto na teoria quanto na prática.

EDUCAÇÃO INTEGRAL

Educação Integral tem como objetivo garantir o desenvolvimento humano em todas as suas dimensões: física, afetiva, intelectual, cultural e social. Consta de um projeto coletivo, compartilhado pela equipe diretiva, professores, estudantes, suas famílias e comunidade. O estudante é o centro do processo educativo, em uma proposta de escola contemporânea, inclusiva, que promove a equidade, alinhada à noção de sustentabilidade.
A escola de Educação Integral tem uma jornada escolar ampliada incluindo três refeições diárias. Durante o período de aula, em torno de oito horas e meia, os alunos têm as disciplinas obrigatórias, além de atividades práticas e oficinas diversas, ambientais, tecnológicas, culturais e esportivas. De acordo com a titular da Secretaria de Educação campo-bonense, o objetivo é que até 2020 todas as escolas de Turno Integral passem a oferecer a Educação Integral. “Este sistema não é um contraturno, onde um período é destinado para a grade curricular e outro para oficinas. Na Educação Integral as atividades são intercalas onde o aluno deve cumprir a carga horária das disciplinas base, como português e matemática, além das oficinas obrigatórias como educação econômica e projeto científico e ainda pode escolher outras atividades nas oficinas extras”, explica.
Ainda segundo Simone, na educação integral há desenvolvimento da autonomia dos jovens. “O convívio frequente com outros jovens e adultos também colabora para o desenvolvimento de habilidades sociais”.

UM DIA TODO DE APRENDIZAGEM

No ensino integral, os alunos estão o dia todo envolvidos com atividades que proporcionam o seu constante aprendizado. Para Carla Caberlon, diretora da EMEF Emílio Vetter, do bairro Rio Branco este é o principal benefício desse modelo. A instituição, que trabalha há mais de um ano com o método, oferece cinco refeições, que vão do café da manhã até o jantar. A escola foi a primeira no município a oferecer essa proposta, onde a Secretaria de Educação está desenvolvendo o projeto piloto, que servirá de base para as outras instituições. "Neste ano contamos com 150 alunos distribuídos em 6 turmas do 1º ao 5º ano. Eles chegam à escola às 7h e ficam até as 16h, e têm aula regular nos turnos da manhã e tarde alternando com as oficinas, conforme o cronograma", explica a educadora que já nota os bons resultados do projeto. “Percebemos a evolução dos nossos alunos não apenas no que diz respeito ao conteúdo didático, mas também comportamental e de cidadania. A mudança é nítida. Esta metodologia oferece ferramentas para que eles decidam quais oficinas, de acordo com as preferências de cada um, irão participar. Isso estimula a autonomia e o senso crítico”.

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.