Entrar

Um projeto que vem despertando a educação

Alunos recebem atendimento individualizado no projeto Divulgação Alunos recebem atendimento individualizado no projeto

O cenário adverso encontrado por Simone Schneider, titular da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC), no início deste ano, onde alunos chegavam ao 9º ano sem estarem alfabetizados, obrigou-a a buscar mecanismos para mudar.

E o primeiro passo foi audacioso, ao lançar, no mês de agosto, o projeto Despertar, com o objetivo de buscar, através de uma forma humana e individual, a evolução de alunos entre o 4º e 7º ano com dificuldades de aprendizagem. “Oportunizamos nesse projeto uma proposta diferenciada, a fim de resgatar a autoestima das crianças e adolescentes considerando o ritmo, as potencialidades e as particularidades no processo de aprendizagem. Os professores trabalham de uma maneira muito atenta, de prontidão e refletindo sobre o seu desenvolvimento cognitivo, pois durante todo trabalho desenvolvido, cada aluno teve um novo olhar sobre a sua forma de pensar e aprender”, ressaltou Simone Scheneider.

PARTICULARIDADE DE CADA ALUNO É RESPEITADA

Um dos diferenciais do projeto é a forma com que o aluno é tratado, onde é levado em consideração a realidade de vida de cada um. “A grande maioria dos alunos apresenta situações específicas, envolvendo familiares, problemas emocionais e psicológicos. Percebemos o crescimento individual de cada um, de forma muito significativa”, afirmou a secretária.

Conforme Simone Schneider, o projeto finalizou a primeira etapa de maneira satisfatória, pois todos os alunos evoluíram no processo de aquisição de leitura e de escrita. As ações pedagógicas dos educadores alfabetizadores possibilitaram o desenvolvimento das habilidades do pensamento dos alunos, considerando o ritmo, as potencialidades e as particularidades de cada um. “Com o Projeto Despertar, simultaneamente, ao trabalho desenvolvido pelo professor na turma do aluno, obtivemos um melhor desempenho dos mesmos, pois mostraram melhores condições de acompanhar e realizar as propostas pedagógicas diárias”, salientou a secretária.

PROFESSORES QUALIFICADOS COMANDAM O PROJETO

O projeto também exigiu bastante dos profissionais da educação, pois cada aluno, com suas particularidades, necessitavam de uma proposta pedagógica diversificada, criativa e dinâmica. Diante disso, a SMEC oportunizou encontros para professores alfabetizadores, com o objetivo de ampliar os conhecimentos, refletir sobre a prática pedagógica e trocas de ideias.


GCB DSC 1509

 

"O resgate da autoestima e da autonomia contribuiram muito para o bom desenvolvimento do trabalho nas seis turmas do projeto. Recebemos alunos em diferentes níveis no processo de alfabetização, necessitando de uma proposta pedagógica diferenciada, baseada na vivência, atividades práticas e, acima de tudo, com muita intervenção individualizada" Simone Schneider

 

 

 


OS NÚMEROS EXPRESSIVOS

Dos 59 alunos atendidos neste semestre, 46 avançaram de ano e 13 permanecerão no mesmo ano. Dos 59, cinco foram dispensados do projeto para 2018. Os demais permanecerão, dando continuidade ao seu processo de alfabetização.

PROJETO DESPERTAR

Quatro professoras alfabetizadoras participam do projeto. São seis turmas em quatro núcleos, com encontros três vezes por semana. As escolas polos são: EMEF Marquês do Herval (manhã e tarde), EMEF D. Pedro II (manhã e tarde), EMEF 25 de Julho (tarde), EMEF Esperança (tarde). Pela manhã das 8h às 11h e à tarde das 13h30min às 16h30min.

São realizadas reuniões quinzenais com os professores alfabetizadores, a fim de auxiliar e de intervir na prática pedagógica, visando a alfabetização dos alunos ao término do ano letivo. De igual forma, a SMEC dará assessoria pedagógica permanente nas escolas em que está ocorrendo o projeto.

A Prefeitura oferece ainda transporte, levando os alunos da escola de origem à escola polo onde são atendidos.

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.