Entrar

Campo-bonenses vivem a emoção da Copa do Mundo

Destaque O casal Mateus e Viviane esteve na Rússia acompanhando o Brasil na Copa Arquivo Pessoal O casal Mateus e Viviane esteve na Rússia acompanhando o Brasil na Copa

Foi uma viagem e tanto. O casal campo-bonense Mateus Menezes e Viviane Molz Menezes pôde ver, de perto, os dois primeiros jogos da Seleção Brasileira na Copa da Rússia e comemorar os seis meses de casamento em grande estilo. O casal já havia tentado, sem sucesso, comprar ingressos para assistir os jogos da Copa de 2014, quando o evento foi realizado no Brasil. Diante disso, eles colocaram uma meta: “Estar na Rússia assistindo jogos da Copa do Mundo foi a realização de um objetivo de nossas vidas que carregamos nos últimos 4 anos. Mais do que o ambiente de copa, era a oportunidade de conhecer um país e uma cultura que durante muitos anos era quase impossível de se aproximar”, explicou Mateus.

Eles estiveram, no dia 17 de junho, na cidade de Rostov-On-Don e assistiram o empate de 1 a 1 do Brasil diante da Suíça e no dia 22, em São Petesburgo, na vitória brasileira frente a Costa Rica por 2 a 0. Como não conseguiram comprar ingressos para as outras partidas, Mateus e Viviane seguiram viagem para outros países europeus.

Nesta semana Mateus conversou com a reportagem do AG via WhatsApp e relatou, em detalhes, a viagem ao país da Copa.

SEGURANÇA

“Uma das características que nos chamou a atenção foi a disciplina e preocupação com a segurança, pois haviam sensores de Raio X em todos locais públicos (até shopping), mensagens nos copos de cerveja da Copa como “beba moderadamente e comemore amanhã” e as 23h todos os restaurantes e até os bares na porta do estádio fechavam e o povo se recolhia (pós jogo do Brasil em Rostov ficamos sem janta)”

COMUNICAÇÃO E TRANSPORTE

“Através de pouco inglês e muito Google tradutor (era abrir a boca para falar algo que eles já puxavam o telefone do bolso) conseguimos nos virar bem, conhecer um pouco da história deles é principalmente viver a Copa do Mundo.

Dentro das cidades o transporte público funcionou, as placas informativas quase sempre em russo e no alfabeto deles geravam dificuldade de compreensão para nós, mas sempre havia um russo solidário com nosso semblante de perdidos e com um telefone na mão (Google tradutor) para nos orientar”


 LEIA ESTA MATÉRIA NA ÍNTEGRA NA EDIÇÃO IMPRESSA DO DIA 29 DE JUNHO DE 2018. PARA ASSINAR E RECEBER O SEU EXEMPLAR LIGUE (51) 3597-2822 OU ENVIE WHATSAPP PARA 99791-0963

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.