Logo
Imprimir esta página

Jovem desenvolve produto inédito contra água-viva

O projeto “Protetor contra Cnidários (Águas-Vivas) presentes nas costas marítimas”, desenvolvido pela campo-bonense Bruna Marschner, 18 anos, começou a ganhar notoriedade dentro das feiras de iniciação cientifica, onde, mais uma vez, a Mostratec, promovida pela Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha, de Novo Hamburgo, serviu como trampolim para o inédito trabalho da campo-bonense.

Conforme a jovem, que é filha de Cleber e Carla Marschner, os estudos iniciaram com o levantamento de acidentes registrado com águas-vivas no Brasil, principalmente na região sul. “Pesquisei sobre o assunto e vi que no mundo inteiro existem esses acidentes. Inclusive turistas acabam mudando rotas de viagens de regiões onde existem mais águasvivas. Então eu pensei: será que é possível desenvolver um protetor contra esses animais?”, indagou Bruna.

As águas-vivas possuem mecanismos chamados cnidócitos que contam com nematocisto, que são micro agulhas, que ao entrarem em contato com a pele humana, perfuram em alta velocidade liberando diversas toxinas, o que acaba projetando uma sensação de ardência muito forte. “A partir disso busquei desenvolver um protetor com uma camada protetiva que bloqueasse as ações destas micro agulhas e suas toxinas”, conta.

PRODUTO PASSOU POR TESTES

Após desenvolver o produto, o protetor precisou passar por testes que comprovassem a sua eficácia. Os animais que participaram dos testes foram coletados do Àqua Rio, localizado no Rio de Janeiro, considerado o maior aquário marinho da América do Sul. Os testes não poderiam ter sido mais satisfatórios. “Aplicamos o protetor desenvolvido por mim no antebraço esquerdo, enquanto no direito aplicamos protetor solar normal. Colocamos os animais em contato com a pele das cobaias e, após quatro minutos, vimos que os nematocistos não conseguiram perfurarem onde o protetor especial havia sido aplicado”, destaca.

O protetor é semelhante a gel de cabelo e não sai no mar.

BRUNA BUSCA RECURSOS PARA IR À SÉRVIA

Com uma inovação deste tamanho, seria natural que os prêmios viessem naturalmente, o que acabou se concretizando. O primeiro reconhecimento foi na Mostratec onde, além de um 3º lugar, Bruna garantiu credencial para participar da Feira Castic, na China. Além disso, o projeto foi destaque no Salão UFRGS.

Já no Cientista Beta, realizado na Unisinos, Bruna recebeu credencial para participar da 25º Conferência Internacional de Jovens Cientistas ICYS, em Belgrado, na Sérvia, que ocorrerá no mês de abril. “Para eu poder participar desta feira, preciso de recursos financeiros. Por isso, estou promovendo uma mobilização na internet onde qualquer pessoa pode ajudar com qualquer quantia”. Para ajudar Bruna na participação da feira internacional, basta acessar o site https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-a-bruna-a-participar-da-icys.


Sobre a ICYS: A ICYS é um evento internacional que reúne jovens do ensino médio com projetos científicos promissores de diversas modalidades com objetivo de prover feedback sobre o projeto e medir forças mediante o cenário científico internacional.

Agazeta CB -2016; O Jornal de Campo Bom. Todos os direitos reservados.